Brazilian Journal of Otorhinolaryngology Brazilian Journal of Otorhinolaryngology
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:498-506 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.06.011
Artigo especial
First Clinical Consensus and National Recommendations on Tracheostomized Children of the Brazilian Academy of Pediatric Otorhinolaryngology (ABOPe) and Brazilian Society of Pediatrics (SBP)
Primeiro Consenso Clínico e Recomendações Nacionais em Crianças Traqueostomizadas da Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica (ABOPe) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)
Melissa A.G. Avelinoa,b,c,d,, , Rebecca Maunselle, Fabiana Cardoso Pereira Valeraf, José Faibes Lubianca Netog,h, Cláudia Schweigeri,j, Carolina Sponchiado Miurak, Vitor Guo Chena,l, Dayse Manriquea,m, Raquel Oliveiran, Fabiano Gavazzonio, Isabela Furtado de Mendonça Picininp,q,r, Paulo Bittencourtp, Paulo Camargosr, Fernanda Peixotos, Marcelo Barciela Brandãot, Tania Maria Sihu,v, Wilma Terezinha Anselmo‐Limaw
a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Escola Paulista de Medicina (EPM), São Paulo, SP, Brasil
b Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil
c Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC‐GO), Goiânia, GO, Brasil
d Universidade Federal de Goiás (UFG), Hospital das Clínicas, Unidade de Cabeça e Pescoço, Goiânia, GO, Brasil
e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Oftalmo/Otorrinolaringologia, Campinas, SP, Brasil
f Universidade São Paulo (USP), Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Departamento de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Ribeirão Preto, SP, Brasil
g Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS, Brasil
h Hospital da Criança Santo Antônio, Serviço de Otorrinolaringologia Pediátrica, Porto Alegre, RS, Brasil
i Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Programa de Pós-graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Porto Alegre, RS, Brasil
j Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil
k Universidade São Paulo (USP), Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP, Brasil
l Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Escola Paulista de Medicina (EPM), Departamento de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, São Paulo, SP, Brasil
m Associação de Assistência a Criança Deficiente (AACD), Clínica de Otorrinolaringologia, São Paulo, SP, Brasil
n Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
o Hospital Pequeno Príncipe, Curitiba, PR, Brasil
p Serviço de Assistência Integral à Criança Traqueostomizada (SAIT), Belo Horizonte, MG, Brasil
q Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS), Curso de Medicina, Belo Horizonte, MG, Brasil
r Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Hospital das Clínicas (HC), Pneumologia Pediátrica, Belo Horizonte, MG, Brasil
s Universidade Federal de Goiás (UFG), Unidade de Terapia Intensiva, Goiânia, GO, Brasil
t Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Pediatria, Campinas, SP, Brasil
u Universidade de São Paulo (FMUSP), Faculdade de Medicina, São Paulo, SP, Brasil
v International Society Otitis Media (ISOM), São Paulo, SP, Brasil
w Universidade São Paulo (USP), Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP, Brasil
Recebido 31 Maio 2017, Aceitaram 06 Junho 2017
Resumo
Introdução

A traqueostomia é um procedimento que pode ser feito em qualquer faixa etária, inclusive em crianças abaixo de um ano. Infelizmente no Brasil existe uma enorme dificuldade dos profissionais de saúde em lidar com esta condição e uma falta de padronização dos cuidados.

Objetivo

Este consenso clínico realizado pela Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica (ABOPe) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) tem como objetivo gerar recomendações nacionais sobre os cuidados e condutas diante das crianças traqueostomizadas.

Método

Foram selecionados um grupo de especialistas com experiência em traqueostomia na infância (otorrinolaringologistas, pediatras intensivistas, endoscopistas, pneumopediatras) que tivessem comprovada atuação prática no assunto, e que também contemplassem as diversas regiões do Brasil, de acordo com os critérios de inclusão e exclusão.

Resultados

Os resultados gerados neste documento foram obtidos a partir da concordância da maioria dos participantes em relação as indicações, tipo de cânula, técnicas cirúrgicas, cuidados e orientações gerais e decanulação.

Conclusão

Estas diretrizes poderão servir como norteadoras para os mais diversos profissionais de saúde em todo país que lidam com as dificuldades das crianças traqueostomizadas.

Abstract
Introduction

Tracheostomy is a procedure that can be performed in any age group, including children under 1‐year of age. Unfortunately health professionals in Brazil have great difficulty dealing with this condition due to the lack of standard care orientation.

Objective

This clinical consensus by Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica (ABOPe) and Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) aims to generate national recommendations on the care concerning tracheostomized children.

Methods

A group of experts experienced in pediatric tracheostomy (otorhinolaryngologists, intensive care pediatricians, endoscopists, and pediatric pulmonologists) were selected, taking into account the different regions of Brazil and following inclusion and exclusion criteria.

Results

The results generated from this document were based on the agreement of the majority of participants regarding the indications, type of cannula, surgical techniques, care, and general guidelines and decannulation.

Conclusion

These guidelines can be used as directives for a wide range of health professionals across the country that deal with tracheostomized children.

Keywords
Tracheostomy, Child, Guidelines, Consensus
Palavras‐chave
Traqueostomia, Criança, Diretrizes, Consenso
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:498-506 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.06.011